quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

Hipotonia - Diagnóstico e Tratamento

hipotonia é a nomenclatura que descreve a diminuição do tônus muscular.

Embora a fraqueza muscular possa estar associada à hipotonia, não podemos confundi-la com a hipotonia, pois são assuntos distintos.

Geralmente, são sinais de hipotonia:

  • Pouco ou nenhum controle muscular;
  • Braços e pernas estão sempre relaxados;
  • Dificuldade de sugar e deglutir;
  • Choro fraco ou silencioso.

Uma criança com hipotonia geralmente leva mais tempo para atingir os marcos de desenvolvimento motor, como arrastar, sentar, andar, falar e se alimentar.

O que causa hipotonia?

A hipotonia é um sintoma e não uma condição e pode estar associada à problemas genéticos, à prematuridade, à Paralisia Cerebral, à Síndrome de Down, a doenças degenerativas e a infecções graves, como a Meningite, por exemplo. Também há casos de hipotonia de causa desconhecida.

Em alguns casos, os bebês nascidos prematuramente têm hipotonia porque seu tônus muscular não está totalmente desenvolvido no momento em que eles nasceram. No entanto, desde que o bebê não tenha outros problemas associados, a hipotonia pode melhorar gradualmente com acompanhamento de Fisioterapeuta, Terapeuta Ocupacional e Fonoaudiólogo.

Tratamento

O tratamento envolve o acompanhamento de Pediatra, Geneticista, Neurologista, Ortopedista, Fisioterapeuta, Terapeuta Ocupacional e Fonoaudiólogo.

Quanto antes a criança iniciar o tratamento, melhor.

Durante as terapias, trabalhamos para melhorar a força muscular, a resistência física, a postura e a coordenação motora para compensar o baixo tônus muscular.

É muito importante fortalecer a musculatura em torno das articulações dos braços e das pernas para proporcionar mais suporte e estabilidade.

A plataforma vibratória é um recurso que ajuda muito no fortalecimento muscular. Outros recursos também podem ser utilizados, como andadores, parapodium, esteira, parede de escalada terapêutica, e etc.

A deglutição e a respiração também devem ser trabalhados nas terapias.




sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Diário do sono: uma dica para ajudar a identificar problemas para dormir

É muito comum que crianças com deficiência apresentam problemas para ter uma boa noite de sono, já abordamos o assunto algumas vezes na página. 

A criança que não fala ou tem dificuldade para se expressar pode não reportar adequadamente quais são os incômodos. 

O Diário do Sono é uma dica que pode ajudar muito a identificar as causas do problema e a encontrar algumas soluções.

Durante um mês, anote tudo que está relacionado ao sono de seu filho:

• Frequência e tempo dos cochilos durante o dia;

• Quanto tempo demora para adormecer;

• Tudo o que ele comeu e bebeu antes de dormir;

• Como foi a preparação para o sono;

• Anote se a criança assistiu à TV ou viu desenhos em tablets ou celulares, por quanto tempo e o horário que parou de assistir à TV antes de dormir;

• Grave qualquer comportamento que se repete ou que você julga importante;

• Como foi a rotina de escola e terapias durante o dia;

• Anote qualquer acontecimento que julga importante no dia da criança, além dos acima mencionados;

• Anote o uso de medicações.

Quando terminar o diário converse com o Neurologista, o Pediatra e a equipe de Terapeutas. Com base nas informações levantadas será mais fácil identificar algumas possibilidades, solicitar os exames e encontrar soluções.



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...